Archive | Liga Espanhola RSS feed for this section

José Mourinho: “A décima Champions vai chegar”

Neste momento, o grande objectivo de Mourinho e o grande sonho do Real Madrid, depois da conquista da Liga Espanhola, é  vencer a décima Liga dos Campeões na história dos merengues. Que vai chegar, mais tarde ou mais cedo, segundo José Mourinho.

“Eu sou um sortudo, porque apesar de já ter perdido em algumas semi-finais, também já ganhei duas finais. Alguns destes rapazes nunca lá chegaram, e o clube procura a décima da sua história. Mas sem obsessão, com tranquilidade e se continuarmos a fazer as coisas bem, como prova o facto de termos chegado às semi-finais, isso vai chegar, mais tarde ou mais cedo. Se não for no próximo ano será no seguinte. Mas obcecar com isso não ajuda. Sonhar sim”, manifestou Mourinho.

Embora tivesse ficado pelas meias-finais da Champions, Mourinho enalteceu a época que o Real Madrid fez: “Se no início do ano me tivessem dito que podíamos ganhar com 90 pontos e 80 golos, assinava por baixo. Mas conseguimos ainda melhor! São números históricos, quase inimagináveis”, defendeu o melhor treinador do mundo.

Mourinho garantiu também que  a festa terminou e que já está a pensar no futuro: “Neste momento já estou a pensar no futuro. É momento de acabar com as celebrações. Os jogadores vão começar a pensar no Euro e eu vou começar a trabalhar a próxima temporada porque o Real Madrid não te permite dormir sobre o que conquistaste”, afirmou o treinador português à Real Madrid TV.

José Mourinho sempre a pensar mais à frente…

Mourinho campeão pelo Real Madrid

Mourinho campeão pelo Real Madrid

Se perguntarem aos números de Mourinho qual o campeonato mais duro, mais dividido, mais delicado, da carreira de José Mourinho eles responderão assim: Itália, 2010. Foi o segundo e último com o Inter, selado na bela Siena, com um golo só.

Se esquecermos os números, este que hoje comemora terá sido o mais difícil campeonato da história do treinador português. É justo que a nossa memória o guarde assim. Justo porque honesto, por ser verdade. E porque não há coisa mais difícil no mundo de hoje do que olhar o Barcelona e derrotá-lo. Por um ponto, por dez ou por vinte. No último minuto ou a três jornadas do final.

Visto de Portugal, o Real Madrid foi mais forte, mais duro e menos irregular. Teve períodos de grande futebol, de equipa também temível, também demolidora. Mas o seu grande mérito foi construir-se apesar do Barcelona, construir-se apesar do que o mundo dizia, do que o mundo pensava. Construir-se apesar de todos acharmos que não era possível.

Com períodos espantosos, bons e alguns, poucos, sofríveis, o Real chegou à grande noite, em Camp Nou, e foi melhor. Eu acho que foi melhor. Mas aceito se disserem que foi apenas mais eficaz. Seja qual for o ângulo, mereceu ali, no sítio mais alto, gritar «campeão!». E gritar «campeão!» em casa do Barcelona é de outro mundo.

Este Real construiu-se, dizia, também em menos tempo do que o Barcelona. Muito menos tempo. A lista de jogadores do Real com dois ou três anos de clube é grande. A presença da «cantera» recente é discreta. Construiu-se até contra uma parte do Real Madrid, contra pessoas que representaram o Real Madrid no passado próximo e distante. Jorge Valdano não é apenas um deles. É o rosto.

Este Real deverá ter sido mais forte também em outros aspectos, difíceis de analisar para quem está longe e que, sinceramente, me importam pouco. No final de todas as contas, José Mourinho ganhou e ninguém poderá dizer que não o mereceu. Na primeira época cuidou de marcar o seu próprio terreno. Na segunda época derrubou o Barcelona. Tudo indica que ficará mais uma temporada em Madrid. Faz bem. A base está lá, o talento e o trabalho estão lá, este Real tem de aspirar à Liga dos Campeões. E tem de ser capaz de fazer o Barcelona duvidar.

Para Mourinho, fica cumprida mais uma etapa de uma carreira que parece incrivelmente escrita, passo após de passo, pelo punho do treinador. Portugal, Inglaterra, Itália, Espanha. Um dia destes provavelmente outra vez Inglaterra. Por fim a seleção nacional. Quando Mourinho quiser. Só alguém muito grande para controlar assim uma coisa redonda, escorregadia e caprichosa, a bola. Em 2012, e salvo qualquer feito excecional no Euro, o português voltou a ser o mais forte candidato a melhor do mundo.

P.S.: O papel dos jogadores da seleção portuguesa no título do Real Madrid foi distinto. Ronaldo foi essencial, brilhante, único. Decisivo, sempre. Pepe segurou muitas vezes a defesa e só alguns tristes episódios (por exemplo chutar um colega) impedem que se reconheça toda a qualidade do seu futebol. Fábio Coentrão sobreviveu à primeira temporada, ele que foi um alvo fácil quando as coisas não andaram bem. Ricardo Carvalho é o mistério do ano. E um desperdício, também.

Fonte: Maisfutebol

Mourinho é mesmo especial!

José Mourinho pode amanhã sagrar-se campeão pelo Real Madrid, após já ter ganho em Portugal, Inglaterra e Itália.

Em Abril de 2011, os adeptos do Real Madrid juntaram-se para celebrar a conquista da Taça do Rei. Este foi o primeiro título de Mourinho ao serviço do Real Madrid. Mouirnho não escondeu a sua felicidade por ter ganho as Taças dos 3 países mais importantes a nível futebolísticos da Europa (Inglaterra, Itália e Espanha), deixando uma mensagem: “Sou um treinador de títulos!”

Amanhã frente ao Atlético de Bilbau, Mourinho pode vencer outro título ao serviço do Real Madrid, o de campeão da Liga Espanhola.

Aos 49 anos, Mourinho está prestes a ganhar a Liga em 4 países diferentes, feito alcançado apenas por 2 treinadores – Ernst Happel e Giovanni Trapattoni.

Zlatan Ibrahimovic está na lista do Real Madrid para a próxima época

Segundo o jornal digital “El Confidencial”, Ibrahimovic já foi contactado por José Mourinho para ir para o Real Madrid: “Queres vir para o Real Madrid? Se assim for, prepara-te, porque vou tentar”.

Equipa de Mourinho dá resposta e vence 4-1 o Atlético de Madrid

A equipa de José Mourinho venceu esta noite no Calderón o Atlético de Madrid por 4-1, com um hat-trick e uma assistência do internacional português Cristiano Ronaldo.

Na conferência de imprensa após o jogo, Karanka respondeu às críticas: “Há três dias todos nos davam o título como perdido. Mas nós tínhamos confiança em nós e conseguimos esta vitória”.

“Em todos os jogos há 3 pontos que se jogam e todos são importantes. Os de hoje também eram, claro. Cada vez falta menos para o fim e temos de pensar dia a dia. O balneário está tranquilo e está confiante no trabalho que realiza todos os dias”.

Karanka elogiou ainda a exibição de Cristiano Ronaldo: “Voltou a fazer um jogo espectacular. O trabalho de todos, aliás, foi espectacular. Quando o jogo ficou mais duro e faltavam trinta minutos para o fim, toda a equipa reagiu com um jogo bastante bom”, conclui o treinador adjunto de Mourinho.

Karanka concorda com Mourinho: “Barcelona é o principal favorito à Champions”

O treinador adjunto de José Mourinho, Aitor Karanka, concordou ontem com o Special One ao afirmar que o Barcelona irá estar na final da Champions, e foi mais longe ao dizer que o Barça é mesmo o favorito à conquista da Liga dos Campeões.

“O que o Mister [Mourinho] disse no outro dia é o que pensa toda gente e é aquilo que nós pensamos. O Barcelona continua a ser o principal favorito à conquista da Liga dos Campeões. A equipa de Pep Guardiola teve um momento em que não estava a este nível mas recuperou-o, por isso, continua a ser o principal favorito.

Quanto a nós, é claro que os jogadores têm muitos jogos nas pernas desde o início da temporada mas estamos onde estamos pelo trabalho que temos desenvolvido até aqui.

Não olhamos para ninguém, preocupa-nos só connosco, e isso tem dado bons resultados”, declarou Aitor Karanka na conferência de imprensa que antecede o jogo frente ao Valência.

Sobre a recepção do Valência, clube que está actualmente a 30 pontos do Real Madrid, ocupando a 3ª posição do campeonato, Karanka admite que é uma equipa que vai criar muitos problemas: “Amanhã (Domingo) é um dia para vermos e voltar a demonstrar em casa como estamos fortes. O importante é que temos praticamente todo o plantel disponível e foi com eles que chegámos onde chegámos”, disse Karanka.

José Mourinho não pode contar com o castigado Sergio Ramos para este jogo, mas já voltou a chamar Khedira e Arbeloa, que ficaram de fora da convocatória para o jogo com o APOEL.

Mourinho deixa um desejo: “Quero ser o primeiro a vencer qualquer coisa pela selecção Portuguesa”

Numa longa entrevista ao jornal italiano Corriere della Serra, José Mourinho divulgou alguns desejos, que só estão ao alcance dos melhores treinadores da história do futebol.

“Quero ser a única pessoa a vencer a Liga dos Campeões por três clubes diferentes, o único a ganhar os três campeonatos mais difíceis do mundo de futebol (Inglaterra, Espanha e Itália) e daqui a uns anos ser o primeiro a vencer qualquer coisa com a selecção portuguesa”, disse Mourinho.

Nesta entrevista, El Especial disse também que “é melhor ter inimigos do que não ter, porque assim nunca relaxamos e queremos sempre vencer”.

O treinador português também mostrou o seu descontentamento pelo facto de ser sistematicamente criticado “quer diga branco ou preto ou se fala ou não antes de um jogo ou não”.

Jose Mourinho destacou ainda que tem “mais dois anos de contrato” com o Real Madrid e garantiu que nunca disse que não iria ficar no clube merengue.

Mourinho nega acordo com Manchester City e má relação com Casillas

José Mourinho negou ontem, na conferência de imprensa de antevisão ao jogo entre o Real Madrid e o Osasuna, os rumores que davam como certo o acordo entre o treinador português e o Manchester City: “Desminto que eu, ou alguém em meu nome, tenha chegado a um acordo com o Manchester City. Não tenho necessidade de falar sobre um tema do qual não tenho nada para falar. Tenho contrato por mais 2 anos e não tenho que responder a perguntas que não têm fundamento nenhum”.

Mourinho desmentiu também o que alguns jornais espanhóis têm divulgado sobre uma eventual má relação entre José Mourinho e o guarda-redes Iker Casillas: “A história com Iker Casillas é boa, mas não existe. Tenho uma boa relação com ele, aliás, como tenho com qualquer outro jogador da equipa”.

Sobre o jogo desta noite no estádio Reyno de Navarra frente ao Osasusa, Mourinho afirmou que não sabe como irá jogar, uma vez que Khedira se lesionou no treino de ontem: “Não sei como jogarei, porque o Khedira lesionou-se no treino. A equipa do Osasuna tem um estilo muito definido e isso é a melhor qualidade que uma equipa pode ter. Vamos ter muitas dificuldades”.

José Mourinho fez também questão de explicar o que denominaram “Lei do Silêncio”, depois do polémico jogo frente ao Villareal: “Na temporada passada, nas meias-finais da Liga dos Campeões frente ao Barcelona, criticámos o juiz da partida e “mataram-nos”. Esta época, na Taça do Rei frente ao Barcelona, sucedeu-se o mesmo. Em Villareal, decidimos não falar. Mas mesmo assim, “mataram-nos”. O problema é vosso (comunicação social), têm que decidir se querem que nós falemos ou nos calemos. Não comentámos nada sobre o árbitro do jogo, e acho que fizemos bem. Desta maneira, não nos podem acusar de incendiar os ânimos. Mas mesmo assim, não sei é por ser o Real Madrid, ou se é por mim, criticam-nos sempre”, manifestou José Mourinho aos jornalistas espanhóis.

Equipa de Mourinho vence o Apoel por 3-0

O Real Madrid, orientado pelo português José Mourinho, venceu esta quarta-feira o Apoel por 3-0, jogo a contar para a Liga dos Campeões.

Na primeira parte, o Real Madrid não conseguiu criar muitas oportunidades de golo, mas depois da entrada de Kaká e Marcelo, a equipa melhorou o seu rendimento e venceu o Apoel. Karim Benzema bisou na partida (1º e 3º golos), e Kaká marcou o 2º golo do jogo.

Com esta vitória em casa do Apoel, Mourinho tem praticamente assegurada a sua passagem da sua equipa às meias-finais da Liga dos Campeões.

Real Madrid mantém “Barça” a seis pontos, sem Mourinho no banco de suplentes

Após dois empates consecutivos, o Real Madrid, sem Mourinho no banco, goleou esta noite a Real Sociedad por 5-1, com dois golos de Cristiano Ronaldo. O Real Madrid mantém os seis pontos de vantagem sobre o Barcelona que triunfou em Maiorca (2-0).

Ronaldo fez mais dois golos, feito igualado pelo francês Benzema – o outro golo foi de Gonzalo Higuaín.

Mantêm-se os seis pontos de vantagem sobre o Barcelona que venceu hoje em Maiorca por 2-0. O primeiro golo pensou-se que tinha sido de Alexis Sanchez. E foi mesmo, no entanto o árbitro deu a autoria do último remate a Lionel Messi.
Já reduzidos a dez jogadores, por expulsão de Thiago Alcântara, o Barcelona sentenciou o jogo a onze minutos do fim com um golo de Piqué.

Mourinho cede segundo empate consecutivo

O Real Madrid, orientado pelo português José Mourinho, voltou a empatar pela segunda vez consecutiva no campeonato espanhol, desta vez frente ao Villareal (1-1).

Há apenas duas jornadas atrás, a equipa de José Mourinho encontrava-se com mais dez pontos do que o seu eterno rival Barcelona, mas dois empates seguido a um golo relançaram novamente a Liga. O Barcelona está neste momento a seis ponto do Real Madrid.

Depois do deslize em Santiago Bernabéu com o Málaga, o Real empatou desta vez no estádio do Villarreal. Cristiano Ronaldo marcou abriu o marcador aos 62 minutos, mas ao minuto 83′ Marcos Senna empatou num livre directo.

Sérgio Ramos e Ozil foram expulsos já depois do Villarreal ter empatado a partida. José Mourinho também estava com os ânimos exaltado e acabou também por ser expulso.

Será que o Real Madrid vai conseguir aguentar a pressão até ao final da temporada?

">

Real Madrid

Notícias – José Mourinho

Comentários Recentes